CRIAR

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Sugestões de leitura...



“A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas”
Luísa Ducla Soares

Toda a gente sabe que os reis têm fortunas, mas de um rei que gastou todo o seu dinheiro numa biblioteca de que nunca antes se ouviu falar…

Se mais desta história querem saber, estes versos têm de ler…

Neles vos esperam, além do rei, da rainha, da princesa, do príncipe, dos vassalos e dos soldados, muitas traças marotas, um Gigante com grande apetite e uma Fada, de seu nome “Palavrinha”.

Isto é um pouco do que se pode encontrar em “A Fada Palavrinha e o Gigante das Bibliotecas”, uma obra da escritora Luísa Ducla Soares.





"O dia em que mataram o rei"
José Jorge Letria


No dia 1 de Fevereiro de 1908, desembarcavam em Lisboa o rei D. Carlos, a rainha D. Amélia e o príncipe D. Luís, de regresso de umas férias em Vila Viçosa.

Sem o saber, a multidão que se juntara no Terreiro do Paço para assistir ao cortejo real, estava prestes a presenciar um momento dramático. De joelhos, munido de carabina, um homem dispara contra a carruagem real. Vindo não se sabe de onde, um outro conspirador aproxima-se da carruagem e desfere vários tiros de pistola contra a família real.

Começava assim um dos mais determinantes períodos da História de Portugal. O virar de uma página que representou o início do fim de mais de quase 770 anos de monarquia e que, pouco mais de dois anos depois, culminaria na Implementação da República, a 5 de Outubro de 1910.

Nesta obra, através das palavras e reflexões de um menino de dez anos, José Jorge Letria faz uma síntese do panorama político e social que levaria a este tão dramático epílogo. Falando-nos da pobreza generalizada e da opressão policial, não deixa de nos confrontar com a outra face da moeda: apresenta-nos o retrato de um rei de tendência humanista e que, porventura nem sempre da melhor forma, tentou engrandecer a imagem de Portugal no mundo.

Uma obra de grande pendor didáctico que, num estilo lúcido e vivaz, nos permite captar o ambiente social que antecedeu o fim da monarquia. Uma reflexão sobre política e história, sem deixar de abordar temas tão universais e intemporais como a liberdade e a felicidade.