CRIAR

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Notícia


Ontem, 16 de julho de 1840, Diogo Alves foi condenado a morte devido aos vários assassinatos e roubos que cometia,  no alto do Aqueduto das Águas Livres, em Lisboa.

As vítimas eram atiradas do alto do Aqueduto e durante muito tempo, supunha-se tratar-se de suicídios.

 A Policia acabou por o apanhar devido ao reconhecimento que  fez uma das pessoas assaltadas que conseguiu fugir.

Diogo Alves estava separado da mulher, Gertrudes Maria  que tinha uma taberna , em Palhavã.

Jornal - A Revolução de Setembro



Joana Guerreiro  nº 11  5º B